Ir para o conteúdo
ou

Em Foco

Veja notícias sobre as atividades realizadas em projetos e ações de extensão

 Voltar a Em Foco
Tela cheia Sugerir um artigo

Linhas de Pesquisa do PDGS

31 de Agosto de 2016, 12:55 , por Mardel Santos - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 364 vezes
Linhas de pesquisa

As Linhas de Pesquisa do PDGS encontram-se em fase de revisão/atualização (ultima atualização: 01/09/2016). Segue abaixo uma descrição de cada um dos eixos/linhas de pesquisa já definidos:

1. ENSINO, PESQUISA E INTERVENÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E GESTÃO SOCIAL

Contextualização e significados do ensino da Gestão Social de Territórios em diferentes construções históricas e espaços multirreferenciais. Construção e validação de designs de ensino e aprendizagem. Gestão Social do Desenvolvimento Territorial mediada por tecnologias tendo em vista práticas profissionais reflexivas e inovadoras de Educação Profissional em todos os níveis. Desenho e teste de experiências de formação de caráter multi, inter e transdisciplinar que articulem ensino, pesquisa, difusão e intervenções sociais.

2. ECONOMIA SOLIDÁRIA E SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA

Incubação tecnológica de redes locais de economia solidária e formação de práticas em finanças solidárias na sua articulação com a gestão do desenvolvimento territorial e comunitário; metodologias integradoras de gestão participativa; investigação no campo da antropologia econômica ou da nova sociologia econômica problematizando as diferentes possibilidades de instituição do fato econômico na vida em sociedade; estratégias de construção de tecnologias sociais para a sustentabilidade e desenvolvimento local.

3. ECONOMIA DA CULTURA, GESTÃO CRIATIVA, E TURISMO

Cultura, criatividade e turismo como eixos de desenvolvimento socioterritorial; Cultura, religiosidade e criatividade como motores de planejamento, execução e gestão de projetos socioculturais e turísticos; Economia da cultura e do turismo como perspectiva de inclusão socioprodutiva nos territórios; Fomento e gestão do processo criativo como estratégia de potencialização da economia da cultura e do turismo; Empreendedorismo cultural e competitividade na economia da cultura e do turismo; Cultura e a religiosidade das festas como diferencial competitivo na economia da cultura e do turismo; Cultura, identidade e criatividade como processos de comunicação, organização, negociação e gestão; Interculturalidade como fonte de conflito, inovação e inserção na lógica contemporânea da gestão e da economia globalizada.

4. POLÍTICAS PÚBLICAS, POLÍTICAS SOCIAIS E GESTÃO

Abordagem dos múltiplos significados e conjuntura da gestão pública e social no atual contexto de flexibilização produtiva; dimensões epistemológica e metodológica do campo de estudo das políticas públicas e seus instrumentos (policy studies); abordagens normativas, descritivas e/ou prescritivas relativas a conhecimentos e práticas da política e da gestão; utilização de ferramentas eletrônicas como possibilidade de incremento democrático; inovação na gestão pública e peculiaridade das esfera pública e privada; avaliação de processos de formação de demandas, agenda pública e institucional; desenho e implementação de instrumentos de políticas públicas e de gestão social; avaliação de política e gestão pública e social.

5. ADMINISTRAÇÃO POLÍTICA, DESENVOLVIMENTO E TERRITORIALIDADES

Estudos e promoção de ações extensionistas tomando como base teórico-metodológica a integração das Teorias Críticas da Administração (com ênfase na Teoria da Administração Política) aos estudos sobre Desenvolvimento; Administração do Desenvolvimento como interface entre Economia Política, Administração Política, Ciência Política, Sociologia Política, dentre outros campos correlatos do conhecimento, tendo como base o conceito multidisciplinar de “gestão das relações sociais de produção e distribuição”; contraponto à visão funcionalista e mecanicista dos estudos administrativos e estudos organizacionais; a construção de uma perspectiva crítica e real de

desenvolvimento, aspectos conjunturais, expressos nas políticas de estabilização econômica; necessidade premente de se reforçar um movimento acadêmico e social dirigido para ajudar as instituições universitárias nacionais, especificamente, e a sociedade, de forma geral, a investir no resgate prospectivo do pensamento administrativo brasileiro na perspectiva das Teorias Críticas do Desenvolvimento.

6. GESTÃO DO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL, INTERORGANIZAÇÕES E TECNOLOGIAS SOCIAIS

Modelos de gestão do desenvolvimento, processos de inovação e associação de atores em redes compartilhadas de conhecimentos, identificação de organizações e configurações interorganizacionais socioprodutivas e setores com potencial mobilizador de ações de desenvolvimento territorial; planejamento, pesquisa, desenvolvimento, criação, aplicação, adaptação, difusão e avaliação de técnicas, procedimentos e metodologias aplicadas às Tecnologias  Sociais; parâmetros operacionais para as instituições públicas; modelos, boas práticas e tecnologias sociais voltadas para a transformação territorial e metodologias integradoras de gestão participativa.

7. MARKETING SOCIAL

Agrega as práticas e teorias de marketing aplicadas a projetos de mudança de comportamento e venda de um novo posicionamento de mercado, voltado a melhorias no convívio social, buscando um consumidor mais consciente e comprometido com o bem estar social. A linha de pesquisa também contempla estudos focados na gestão social, com práticas voltadas ao compromisso social  das empresas e sua relação com os setores público, privado e terceiro setor.

8. INTERSETORIALIDADES NA GESTÃO DE POLÍTICAS EM GÊNERO E RAÇA/ETNIA GÊNERO

Panorama conceitual sobre gênero, sexo e sexualidade. Identidade de gênero e orientação sexual; movimento feminista; hierarquia social e diferenças de gênero na organização da vida pública e privada; desenvolvimento e redução da pobreza; divisão social e sexista do trabalho e suas implicações; participação política e empoderamento da mulher. ETINICIDADE – Construção histórica da ideia de raça e o campo destas relações no Brasil: Raça, Cultura e Etnia; descolonização, democracia racial, preconceitos de classe ou de cor e desdobramentos. EQUIDADE NO BRASIL – O movimento negro e das mulheres e a Constituição Cidadã de 1988: das leis à  implementação dos direitos; estratificação social, estereótipos e hierarquias de raça, gênero, sexualidade; realização socioeconômica das mulheres negras e a importância da desagregação dos dados (cor, sexo e classe) e uso dos indicadores sociais; Políticas de Ações Afirmativas na Educação Superior: educação para as relações antirraciais, diversidade, promoção da igualdade de

oportunidades, processos de afiliação universitária e inclusão socioprofissional de grupos vulneráveis cultural, social e economicamente.

9. POLITICA, GESTÃO E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

Meio ambiente como bem público e campo de conflitos socioambientais; Terra e água como direitos e como mercadorias; Interesses públicos e privados pelos bens ambientais; Democracia e Participação na gestão das águas e dos bens ambientais; Dimensão simbólica dos elementos da natureza; problemática ambiental em suas várias escalas no contexto da transformação do padrão de

regulação dos bens ambientais; acordos multilaterais relativos a questões globais como clima e águas, governança ambiental global. Economia de baixo carbono e Tecnologias Limpas; Legislação, instrumentos de comando/controle e instrumentos econômicos de gestão socioambiental; os limites político-institucionais do desenvolvimento sustentável no Brasil; aplicação de princípios da sustentabilidade ecológica na gestão de organizações e desenvolvimento

territorial; problemática da responsabilidade socioambiental das organizações no desenvolvimento territorial. O território como espaço dinâmico de expressão cultural e de luta política.

10. MOVIMENTOS SOCIAIS, ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS E COOPERAÇÃO NAS ESCALAS NACIONAL E INTERNACIONAL 

Estratégias de sobrevivência dos movimentos sociais, das Organizações não Governamentais nas escalas nacional e internacional. Diversidade desses atores: nomenclaturas, processos de autodenominação, frentes de trabalho, processos de institucionalização, modos decapitação de recursos e mobilização de ativos, contribuições, desafios, opacidades e contradições; o modo como esses atores não governamentais dialogam com institucionalidades de natureza governamental (Estados, Unidades Federadas e Organizações Internacionais) e as suas agendas, um exercício que reverbera em processos de negociação, concessões, aquiescências e intransigências que cotidianamente são vivenciados por esses atores no seio do sistema que ora os acolhe, ora os repulsa, um movimento reflexivo capaz de relocar identidades desses atores de acordo com os interesses e conveniências em jogo. Teorias, tais como, o pós-colonialismo, o construtivismo e o pós-modernismo, agenda de pesquisa capaz de levar em conta os debates de identidade, gênero, racialidade, etnicidade, diversidade e geração.

11. POLÍTICAS PÚBLICAS, CONSENSUALIDADE E JURIDICIDADE

Marcos regulatórios do desenvolvimento econômico e social. Temas interdisciplinares de gestão pública, comunicação, economia e direito. Consensualidade e controle da atuação estatal. Políticas públicas e concretização de direitos fundamentais.

12. DEMOCRACIA DIGITAL (em elaboração)

Estudos e pesquisas teórico-práticos sobre e para o desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação que envolvem os processos de geração, disseminação, uso e gestão de recursos, produtos e serviços informacionais. Métodos, processos e relações de mediação, circulação e apropriação de informações em diferentes contextos e dimensões.  Fluxos e processos informacionais como vetores de transformação social.

13. GESTÃO DE EMPRESAS FAMILIARES, PERENIDADE DAS ORGANIZAÇÕES E O IMPACTO DE SUA FINITUDE

Governança Empresarial como medida preventiva e estratégica de longevidade. Controle gerencial. Gestão do patrimônio e as medidas legais a serem observadas. Organização administrativa. Gênero e diversidade nas organizações.


Tags deste artigo: linhas de pesquisa pdgs